Esclerose Múltipla ,o que é?

A Esclerose Múltipla (EM) é uma doença inflamatória crónica e degenerativa.

É uma das doenças mais comuns do Sistema Nervoso Central (SNC) e a principal causa de incapacidade neurológica nos adultos jovens.

O que acontece nesta doença é que o sistema imunitário não consegue distinguir as células do seu próprio organismo, de células estranhas ao corpo e começa a atacar os seus próprios tecidos, sendo este o motivo pelo qual se considera a EM uma doença imunomediada. Um dos principais alvos deste ataque é a mielina, uma camada de gordura que protege e envolve as fibras nervosas e que ajuda na transmissão de mensagens a diversas partes do corpo. Destes ataques resultam cicatrizes que se agrupam em estruturas conhecidas como áreas de «esclerose», por vezes denominadas igualmente por «placas» ou «lesões».

Com a progressão da doença, as lesões atingem milhares de fibras nervosas, afetando profundamente a transmissão das mensagens ao organismo. O nome de EM descreve então o processo de multiplicidade e aleatoriedade com que estas estruturas aparecem dispersas pelo cérebro, tronco cerebral, medula espinhal e nervo ótico.

Na EM, a inflamação danifica ou destrói as bainhas de mielina das células nervosas, sendo este o motivo pelo que se considera esta doença como “desmielinizante”. Os axónios que ficam sem mielina deixam de poder conduzir adequadamente os impulsos nervosos e isso origina os sintomas neurológicos normalmente sentidos durante um surto de EM. Com o passar do tempo, é esta lesão axonal que justifica o carácter degenerativo (ou progressivo) atribuído à EM. Uma vez que a localização das regiões de desmielinização do SNC é imprevisível, a natureza dos défices neurológicos associados aos surtos pode ser muito diversa.

X